quinta-feira, 3 de março de 2011

Nina

Não consigo escrever sem derramar alguns lágrimas. É muito difícil deixar que alguém se vá. Ainda mais quando esta pessoa é tão boa, tão bonita, tão gentil, tão educada, tão inteligente e comparado a outras pessoas que passaram em nossa vida, soube dar a todo momento, sem cobrar nada em troca, o seu melhor sorriso.

Lembro-me de quando nos conhecemos. Ela imediatamente se mostrou tão solicita a me ajudar. Não ria do meu mal jeito em me comunicar, na verdade achava fofo. E estava sempre pronta a me mostrar sua Alemanha. Queria me provar, e não precisou se esforçar muito, que nem todos naquele país eram duros e antissociais.

Ela gostava de me ouvir cantar. Eu gostava de como ela se maquiava como uma rainha. Ela adorava purê de batata com almôndegas que meu marido fazia. Aliás, também adorava meu marido. Quando o conheceu pensou que fosse meu amigo e foi logo me perguntando se eu podia apresentá-lo a ela. Isto virou motivo de brincadeira entre nós. Nina e seus cabelos de ouro (tínhamos bom gosto).

Nestes últimos meses, eu soube por uma amiga em comum, que ela estava com câncer. Parecia não acreditar. Na verdade, sabia que nada iria acontecer a ela. Sempre tão forte. Foi quando Sophia teve uma ideia: para cada dia que ela ficar no hospital, vamos encher o quarto dela de presentes, como um calendário. Assim, desde uma pequena cartinha, uma foto, uma lembrança, ela nunca estaria sozinha.

Foi um dos gestos mais bonitos e enriquecedores que presenciei ultimamente. Amigos de todos os países dizendo a ela como era importante para nós, e dizendo a mim um pouco mais sobre a esperança. “Um empréstimo que se pede à felicidade”, como dizia um escritor francês do século 18. E a felicidade de ter compartilhado poucos mais intensos momentos com Nina.

It is very difficult to letting go. And now I try hard, but dont have all the words. I only can feel so, so sad.

2 comentários:

aPitillo disse...

Façamos todos uma oração de amor e paz p ela seguir seu caminho de crescimento espiritual com muito êxito. Que ela seja lembrada com amor sempre.

Ellen Pitillo disse...

Obrigada querida. Bem lembrado.