quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Quando

Continuo não gostando do que Ribeirão Preto me provoca. É uma sensação de sufocamento pelas lembranças presentes em cada esquina. Um calor nervoso que dá vontade de sair correndo antes que as lágrimas salgadas comecem a grudar no rosto. Mas tem uma coisa, aliás 3 pessoas, que me fazem querer passar por lá para um abraço demorado, para recarregar minhas energias.

Quando a gente encontra amigas pelo caminho das nossas vidas sabe que a estrada é de flores. Não existe contramão, ultrapassar o limite de velocidade, tudo é permitido. Porque se está ali integralmente. Entregue ao amor que aquele momento representa.

E quando elas dizem: dá próxima vez você vai ficar lá em casa, sem discussão. Eu apenas sorrio para evitar que dizer que não haverá uma próxima vez. Não porque fui mal recebida, muito pelo contrário. Mas porque tê-las por alguns minutos, me fazendo lembrar de um passado que não existe mais, dói. Me dói muito não tê-las comigo todos os dias, na minha rotina, como meus presentes.

Então me despeço um pouco cansada de me dividir entre o que fui e sou, mas eternamente grata por elas continuarem as mesmas, minhas doces amigas.




Um comentário:

aPitillo disse...

nada a comentar....iihhhihi...ea