terça-feira, 27 de março de 2012

Obrigada por hoje

Tem dias que a gente não acorda bem. Ou porque teve um pesadelo durante a noite. Ou porque a cama parecia mais dura do que o costume. Ou porque você acordou com um pressentimento daqueles de apertar o peito. Ou porque se sufocou com o excesso de calor. Ou simplesmente porque não queria trabalhar naquele dia muito menos enfrentar o ônibus (saindo gente pelas janelas) assim tão cedo.

Tem dias que a gente não acorda bem. Mas se a gente tem uma pessoa ao lado para perguntar: tá tudo em ordem? e principalmente ouvir: não está e as milhares de reclamações que virão a seguir, bom, se não está bem, vai ficar.

Hoje foi um daqueles dias que o marido acordou 1 hora antes do normal para fazer coalhada, servir dentro do mamão, assar pão de queijo, preparar o almoço e fazer a pergunta: tá tudo em ordem? e ouvir: não está. acordei ruim, não sei o que é. E pegar na sua mão, te levar até o ponto de ônibus e notar que isso ainda não foi suficiente e te acompanhar na viagem de ônibus e te colocar sentada, te descer do ônibus, levar até a porta do trabalho e ver que ainda seu humor não mudou, e carregar sua bolsa e te colocar sentada confortavelmente na sua cadeira.

Isso sim, é contrariar todos os sentimentos ruins que estavam teimando em passar o dia todo com você. Isso sim, é começar bem o dia.

2 comentários:

Um sonho a dois disse...

Lindo demais esse seu marido: este sim é um verdadeiro gato(companheiro, amigo, gentil, etc, etc...).

infinito particular disse...

:)

Preciso fazer uma observação...um gato no colo? rsrs